Boletim Econômico Semanal 065

Boletim Econômico Semanal 065

1
Presidente Michel Temer, ministros Henrique Meireles e Antonio Imbassahy e presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em reunião - Boletim Econômico Semanal 065

Neste Boletim Econômico Semanal 065 destacamos:

  • Atividade Econômica mais firme, especialmente após revisões nos dados do IBGE;
  • China segue com economia forte;
  • Cenário político é bastante controverso e sugere atenções redobradas.

Acompanhe a seguir os principais tópicos deste Boletim Econômico Semanal 065 e, logo em seguida, nossa análise. Navegue pelos tópicos para ir aos itens que mais te interessar.

Qualquer dúvida, crítica, sugestão, ideia etc, deixe seu comentário abaixo que a gente responde.

    1. Cenário Econômico Nacional
    2. Cenário Econômico Internacional
    3. Cenário Político
      1. Nacional
      2. Internacional
    4. Destaques e Perspectivas

Cenário Econômico Nacional

Atividade Econômica

Impulsionado pelas revisões dos dados de vendas do varejo e de receitas de serviços, o IBC-Br, prévia mensal do PIB, registrou alta. Na passagem de janeiro para fevereiro, descontados os efeitos sazonais, o índice subiu 1,31 por cento.

O resultado surpreendeu positivamente todo o mercado que esperava alta mais moderada. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, houve queda de 0,73%, acumulando recuo de 3,56% nos últimos doze meses.

Também merece destaque a revisão do dado de janeiro, que passou de uma queda de 0,30% para uma expansão de 0,62%, influenciada pelas alterações metodológicas da PMC e da PMS, ambas do IBGE.

Agricultura

A nova revisão altista das estimativas para a safra de grãos de 2016/2017 corroborou o cenário de expansão recorde da produção. O desempenho do setor deverá impulsionar o crescimento do PIB deste ano, cujo impacto será observado principalmente no primeiro trimestre.

A área plantada somou 60,1 milhões de hectares, uma expansão de 3,0% ante a safra passada. A produção total de grãos deve alcançar o recorde de 227,9 milhões de toneladas. Isso equivale a uma alta de 22,1% em relação à safra anterior.

Na comparação com o levantamento anterior, a Conab revisou a produção total de grãos em mais 5 milhões de toneladas. Destaque para 2,5 milhões a mais de milho e de 2,5 milhões de toneladas a mais de soja.

O incremento da produção de grãos deve continuar favorecendo a baixa de seus preços domésticos. Com isso, custos nos segmentos de carnes e de leites e derivados deveram registrar alívio. Além disso, deve proporcionar relevante incremento da renda agrícola nas regiões produtoras de grãos do país.

Comércio e Serviços

Os últimos dados de vendas do varejo trouxeram importante revisão das séries históricas, diante da mudança metodológica da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC). Assim, os resultados de janeiro apresentaram forte elevação, ao contrário da queda mostrada em sua primeira divulgação.

As vendas reais do comércio varejista restrito recuaram 0,2% entre janeiro e fevereiro, descontados os efeitos sazonais, de acordo com a PMC. O resultado veio em linha com nossa projeção, mas bastante inferior às expectativas do mercado. A surpresa foi explicada, pelo menos em parte, pela mudança metodológica da pesquisa.

Assim como os dados de varejo, as informações do setor de serviços também foram impactadas por mudanças metodológicas. O volume de vendas de serviços subiu 0,7% entre janeiro e fevereiro, descontada a sazonalidade, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS).

Destacamos a forte revisão do dado de janeiro, de uma queda de 2,2% para uma alta de 0,2%. Dentre os três segmentos que entram no cômputo do PIB, entretanto, dois apresentaram quedas em fevereiro. Os serviços de informação e comunicação e os outros serviços caíram 1,5% e 0,5%, respectivamente.

Dessa forma, caso o PIB abranja tais mudanças metodológicas, que nos parece ser o caso mais provável, o resultado do primeiro trimestre deverá mostrar alta mais intensa que a esperada anteriormente. Ainda assim, a atividade agrícola será fundamental para o crescimento no período.

Taxa de Juros

Em linha com as expectativas, o Copom optou por reduzir a taxa de juros em 1,00 p.p., de 12,25% para 11,25% a.a. Conforme apontado pelo comunicado da decisão, essa intensificação do ritmo de flexibilização em relação a janeiro e fevereiro (quando a Selic tinha recuado 0,75 p.p.) foi definida como “adequada”.

O comitê atualizou seu cenário e balanço de riscos. Destaque para a visão de que a atividade econômica se estabilizou no curto prazo. Além disso, para o Comitê, houve consolidação da queda do nível geral de preços dos itens mais sensíveis ao ciclo econômico.

Para o balanço de riscos, houve destaque para a aprovação e a implementação de reformas. O Comitê também chamou atenção para a importância dessas reformas para a determinação da taxa de juros estrutural. Diante disso, parece-nos que a Selic encerrará este ano em torno de 8%.

Voltar ao Topo

Cenário Econômico Internacional

Em linha com o sugerido pelos indicadores conhecidos ao longo dos últimos dias, o crescimento da economia chinesa seguiu firme no primeiro trimestre deste ano. O movimento evidencia o impacto da expansão de crédito iniciada no começo do ano passado, que deu sustentação aos investimentos e à produção industrial.

Assim, o PIB cresceu 6,9% nos primeiros três meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, superando as expectativas (6,8%) e a expansão registrada no quarto trimestre de 2016 (6,8%). Considerando a variação trimestral, entretanto, houve desaceleração do crescimento, de 1,7% para 1,3%, entre o quatro trimestre do ano passado e o primeiro deste ano.

Para tanto, a produção industrial avançou 7,6% em março, acelerando ante a alta de 6,3% registrada no primeiro bimestre. Os investimentos em ativos fixos (máquinas, equipamentos, instalações etc), na mesma direção, mostraram elevação de 9,2% no acumulado deste ano.

Cabe ressaltar que os investimentos no setor imobiliário seguiram em crescimento. Paralelamente, os investimentos em infraestrutura apontaram moderação. As vendas do varejo, por sua vez, cresceram 10,9%, superando as expectativas ante expansão de 9,5% verificada em janeiro e fevereiro. Dessa forma, mantendo este ritmo, a meta chinesa de crescimento do PIB em 6,5% será alcançada neste ano.

De todo modo, entendemos que ao longo dos próximos trimestres, a economia chinesa deverá mostrar alguma moderação, respondendo à política monetária mais prudente, alinhada a sinalização dada pelo governo nos últimos meses. Além, é claro, de um cenário internacional adverso.

Voltar ao Topo

Cenário Político

Nacional

Operação Lava Jato

A semana que passou foi bastante conturbada. A lista de envolvidos na Lava Jato divulgada pelo ministro do STF, Edson Fachin, e a divulgação do material das delações premiadas da Odebrecht balançaram fortemente o cenário político. Muitos políticos importantes foram citados e tiveram inquéritos abertos.

Para elucidar, o inquérito é uma fase “preliminar” de um processo. Abre-se um inquérito para investigar com mais detalhes o envolvimento de suspeitos em crimes, esquemas etc. Após a fase do inquérito, se comprovado o envolvimento, o indivíduo se tornar réu e entra em julgamento.

A lista envolve ex-presidentes, governadores, senadores, deputados, ex-ministros, ministros e, inclusive, o atual presidente da república, Michel Temer.

Reforma da Previdência

E na esteira dos grandes acontecimentos, Temer pediu na noite de domingo de páscoa (16/4) a parlamentares aliados e ministros que atuem para manter o cronograma de votação da reforma da previdência no Congresso. A proposta poderia estar em risco de atraso após a abertura de inquérito após as revelações de delatores da Odebrecht.

Temer defendeu que todos se empenhem para mostrar normalidade no Brasil.

O presidente da comissão especial da reforma da Previdência na Câmara, Carlos Marun (PMDB-MS), disse na saída do encontro que Temer se inteirou das últimas tratativas sobre pontos da proposta discutidas entre o relator da matéria, Arthur Maia (PPS-BA), e a equipe econômica.

Na reunião, ficou acertado que o relator vai apresentar o parecer para o presidente e a base aliada do governo na terça-feira. Segundo Maia, o objetivo será mostrar claramente que as negociações com o governo foram capazes de absorver todas as mudanças defendidas pelas bancadas.

Em seguida, haverá um encontro entre relator, Temer e senadores da base para lhes mostrar o que foi mudado da proposta original em relação ao texto que está prestes a ir à votação. Por fim, o presidente da comissão especial abrirá a reunião do colegiado para que Maia faça a leitura do seu parecer.

A expectativa do Palácio do Planalto é que se consiga 80 por cento dos votos para aprovar a proposta na comissão especial.

Internacional

As ações de Trump ainda ecoam pelo mundo. O fracasso (ou sabotagem) do lançamento do míssil de longo alcance norte coreano também ecoa globalmente. Principalmente após a demonstração de força americana no Afeganistão com o lançamento da “mãe de todas as bombas“. Mesmo considerando um número reduzido de baixas, o uso da bomba foi um claro sinal à Coreia do Norte.

Com Rússia, China, Japão, Coreia do Sul envolvidos na situação, existe a possibilidade iminente de escalada do evento. Essa possibilidade requer atenções redobradas. Um evento político-militar dessa proporção, com elevado poder de fogo envolvido, pode ser bastante perigoso para o mundo.

E, como é de se imaginar, tudo isso tem desdobramentos diretos sobre os países emergentes.

Voltar ao Topo

Destaques e Perspectivas

Após a intensificação do ritmo de corte da taxa Selic, favorecido pela consolidação da tendência de queda dos preços, os primeiros indicadores de inflação de abril deverão seguir a mesma tendência. Esperamos leve alta do IPCA-15 do período, a ser conhecido na quinta-feira (20/4).

Complementando a agenda, teremos nesta terça-feira (18/4), a divulgação da Ata do Copom. O Banco Central poderá trazer detalhes adicionais relativos à sua última decisão. Mais importante, contudo, serão as sinalizações relacionadas à extensão do ciclo e ao ritmo dos próximos cortes.

Por fim, na agenda política, as atenções também estarão voltadas à apresentação do parecer do relator da reforma da previdência, que ocorrerá na terça-feira.

No exterior, destacamos a divulgação da produção industrial norte-americana de março, que ocorrerá terça-feira.

Além disso, na sexta-feira, teremos as leituras preliminares dos índices PMI composto dos EUA e da Área do Euro, que serão os primeiros indicadores de atividade referentes a abril.

Acompanhe a agenda completa clicando aqui.

Voltar ao Topo

Gostou do Boletim Econômico Semanal 065? Compartilhe nas redes sociais!

Quer ir além do conteúdo do Boletim Econômico Semanal 065? #SejaPRO e tenha acesso completo a projeções, cenários e mais. Clique aqui para conhecer.

Inscreva-se em nossa newsletter para receber as notificações de novas publicações!

ARTIGOS SIMILARES

0

0

1 COMENTÁRIO

Deixar uma resposta